quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Uma triste história de Peixe-Boi: Fontinho


“Fontinho” foi resgatado de um encalhe em outubro de 2008, na Praia das Fontes, Ceará, e foi batizado carinhosamente com este nome. Levado para a ONG Aquasis, recebeu os cuidados necessários dos veterinários e biólogos, e no dia 11 de outubro de 2011 foi transferido da sede do CMA/ICMBio em Itamaracá (PE) para o semi-cativeiro no Rio Tatuamunha em Porto de Pedras (AL). A foto foi tirada no dia da soltura, em 14 de novembro de 2012. Desde então Fontinho estava em liberdade, ganhando o mundo, conhecendo novas praias e rios.

Vídeo da soltura: https://www.youtube.com/watch?v=E6lQiM8NxXs

No dia 28 de outubro de 2014 foi encontrado morto em Barra de Santo Antônio (AL), com um tiro na cabeça. Possivelmente tinha completado 6 anos.
Fontinho representava o sucesso do projeto em Alagoas, que envolve a preservação de uma espécie ameaçada e protegida legalmente, e do seu habitat, o manguezal. Sua morte é fruto da ignorância humana e nos faz pensar sobre nosso futuro. Cada indivíduo que desaparece da natureza é uma ameaça à nossa espécie. Foram seis anos de cuidados com ele. Outros peixes-boi reintroduzidos sofreram com a ação do homem, mas dessa vez foi muito cruel.
A perda do indivíduo enaltece a importância de continuar lutando. Não quero aqui transformar Fontinho num Mártire, mas é importante alertar a sociedade da importância da espécie.
Fontinho era um dos 41 animais devolvidos à natureza, entre os Estados de Alagoas e da Paraíba; 28 só em Alagoas. Destes, 26 em Porto de Pedras, sendo esta última a principal área de soltura no País. Mas não era mais um...
Fontinho, deixa a população humana de peixes-boi órfãos. Estarei na torcida para que seja encontrado o seu algoz.


Fontes: